NTU: Crise afeta demanda por transporte público

NTU: Crise afeta demanda por transporte público

O transporte público sentiu o peso da recessão econômica em 2015, com redução de 4% no número de passageiros. O levantamento da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) aponta que de julho a dezembro do ano passado a retração foi ainda maior, de 6,3%. Estudo leva em consideração 16 grandes cidades com maior demanda por transporte em ônibus. 

A maior queda no balanço anual foi verificada em Curitiba-PR. A quantidade de usuários baixou de 231.753.092, em 2014, para 213.103.587, no ano seguinte, retração de 8%. A recessão econômica também reduziu expressivamente a demanda em Goiânia-GO. Na mesma base de comparação, o total de usuários caiu 7,9%: de 162.592.963 para 149.732.72. Em Teresina-PI, houve recuo de 7,8% no número de passageiros: de 69.218.895 para 63.806.203. Belo Horizonte apresentou redução de 6,5% na demanda pelo transporte. Na capital mineira, o número de usuários caiu de 354.961.112 para 331.958.731. O levantamento aponta ainda redução de 5,9% em Aracaju-SE; 2,2% em Fortaleza-CE; 4,3% em Joinville-SC; 4,7% em Londrina-PR; 1,9% em Porto Alegre-RS e 6,1% na região metropolitana; 5,21% em Recife-PE; e de 4,1% em Salvador-BA. 
As capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Maceió e Macapá registraram os menores impactos. A queda no total de passageiros entre 2014 e 2015 foi de, respectivamente, 0,9%, 0,4%, 0,8%.

Perdas
Os dados da NTU apontam uma queda média de 900 mil usuários de ônibus por dia. Os dados indicam um prejuízo histórico, com a maior recessão na década pelo serviço, que retém 85% dos usuários do transporte público. Com menor poder de compra, agravado pela crise, o trabalhador é obrigado a fazer deslocamentos a pé ou reduzir as viagens. Os governos também sentem o peso da recessão, pois precisam tirar mais dinheiro do caixa para manter o serviço em operação.

Fonte: radarnacional

2016-03-14