Chevrolet Onix Sedan: tudo que vimos bem de perto no sucessor do Prisma.

Chevrolet Onix Sedan: tudo que vimos bem de perto no sucessor do Prisma.

Modelo foi apresentado à imprensa brasileira, mas GM tenta esconder alguns detalhes. Nós observamos o que ainda está oculto.

A apresentação do Chevrolet Onix Sedan, sucessor do Prisma, foi feito dentro do campo de provas da GM em Indaiatuba (SP) repleta de mistérios.

O protótipo mostrado à imprensa estava com camuflagem zebrada, lanternas falsas e películas escuras na cabine, ocultando completamente o interior.

A marca também comentou poucos detalhes do modelo, que chega este ano para liderar a troca de plataforma entre os compactos-médios da GM.

QUATRO RODAS, porém, conta todos os detalhes do Onix Sedan que a GM ainda quis esconder do modelo, incluindo onde o modelo será melhor (e pior) que seu homônimo chinês.

A maior dúvida em relação ao nosso Onix Sedan acabou com a apresentação do protótipo à imprensa. Confirmando os inúmeros flagras feitos por nossos leitores, o modelo nacional será praticamente idêntico ao chinês.

Os vincos pronunciados dos para-choques, refletores, pisca-alerta lateral e até mesmo as rodas são as mesmas do modelo que será apresentado no Salão de Xangai.

A maior diferença está nos aros, pratas no modelo brasileiro. Os pneus Continental Conti Power Contact2 têm especificação 195/55 R16 87V.

O protótipo apresentado à imprensa tinha os mesmos faróis com blocos elípticos do Red Line chinês, mas a versão nacional trocou a guia de luz por leds individuais, como ocorre no Tracker Premier atual.

Nas fotos divulgadas pela GM o Onix Sedan não conta com o farol de neblina em led, e algumas unidades tinham a luz auxiliar no formato convencional com lâmpadas halógenas e faróis mais simples.

Como os protótipos tinham a reentrância para a luz de neblina em led com o mesmo formato do Onix Sedan chinês, é possível que as versões mais caras (como a Premier antecipada com exclusividade por QUATRO RODAS) adotem a solução oriental.

As lanternas definitivas, não presentes nas imagens, já foram reveladas em flagras e possuem o mesmo formato. A disposição das luzes irá variar de acordo com a versão.

Interior

De longe, o maior mistério do Onix Sedan nacional. Mesmo com as películas escuras no vidro, a GM ainda pôs capas nos bancos dianteiros e cobriu parcialmente o painel.

Foi possível observar, porém, que o volante mantém o mesmo visual do sedã chinês. Os encostos dianteiros com encosto de cabeça embutido (mais baratos) foram revelados nas imagens divulgadas pela GM do Brasil.

As mesmas fotos também revelam uma evolução do Onix Sedan brasileiro em relação ao chinês.

Ao invés dos dois encostos de cabeça fixos e cinto central subabdominal, o modelo nacional terá encostos ajustáveis e cinto de três pontos para todos os ocupantes do assento traseiro. Ufa!

Equipamentos

O protótipo apresentado aos jornalistas aparentava ser o topo de linha Premier.

Além das rodas de 16 polegadas, chamou a atenção itens como chave presencial, ainda que as maçanetas são equipadas com botões físicos, ao invés das sensíveis ao toque usadas no rival Volkswagen Virtus.

A câmera de ré fica posicionada sobre a placa, o que impede que ela filme o para-choque para oferecer uma referência visual ao motorista.

O sensor de estacionamento, somente na traseira, foi simplificado e dotado de apenas três sensores, como já foi feito na nova Spin.

O retrovisor central aparentava não ser eletrocrômico e poderá reunir os botões do sistema de concierge OnStar. Além dele, o Onix Sedan (e também o hatch) contarão com internet 4G a bordo, se assim o proprietário quiser (e estiver disposto a pagar).

Os itens garantidos no Onix Sedan são a nova central multimídia, airbags laterais e câmbio automático de seis marchas. É possível que a GM do Brasil coloque ar-condicionado digital no modelo (inexistente na China) para ganhar fôlego diante dos rivais.

O controle de estabilidade e tração virá com assistente de partida em rampa, mas a marca não afirmou se ele equipará todas as versões do sedã.

Mecânica
A GM só falou que o Onix Sedan terá motor turbo. Mas, como você já leu em QUATRO RODAS, tanto o três-volumes quanto o hatch serão equipados com os inéditos três-cilindros da família CSS produzidos em Joinville (SC).

A dupla usará as versões aspirada e turbo do 1.0 — esta última limitada aos pacotes mais caros dos modelos. O Tracker, por sua vez, terá somente motores turbo, 1.0 e 1.2.

O câmbio terá sempre seis marchas, com opção automática para as versões turbo. Sem surpresas, o Onix Sedan adotará a solução de McPherson na frente e eixo de torção atrás, com freios a disco ventilado e tambor na traseira.

Tamanho

A GM mostrou aos jornalistas um comparativo de tamanho entre Prisma, Onix Sedan e Cobalt. Tanto em entre-eixos quanto comprimento o lançamento fica no meio dos sedãs atuais, mas mais próximo do Cobalt.

Isso confirma que não só o Onix Sedan terá entre-eixos maior que o hatch, como ele manterá as mesmas medidas do chinês, com 2,60 metros de entre-eixos (ante 2,62 m do Cobalt e 2,53 m do Prisma).

O porta-malas terá tampa com dobradiça do tipo “pescoço de ganso”. O volume deverá ser próximo dos 470 litros do sedã chinês, diferindo apenas pelo tipo de estepe que será usado no Brasil.

Mercado

Oficialmente a GM diz que o Onix Sedan irá conviver com os modelos atuais da gama. Só que a realidade é mais dura, com o lançamento matando dois carros de uma só vez.

Acima dele o Cobalt perderá versões, ficando focado à frotistas e PCD até ser descontinuado, enquanto o Onix Sedan for ganhando espaço do mercado.

Abaixo dele o Prisma ficará restrito à versão Joy. O que não se sabe é se a marca optará por manter o Prisma Joy com a carroceria atual ou com a versão reestilizada usada nas versões mais caras do sedã.

Executivos não citaram datas, mas garantiram que o Onix Sedan chegará ao mercado no último trimestre de 2019. Em seguida, já no começo de 2020, virá o novo Onix. Ambos serão produzidos em Gravataí (RS).

Já a nova geração do SUV Tracker, que passará a ser feita em São Caetano do Sul (SP), deve ganhar as ruas no segundo trimestre do ano que vem.
Fonte: quatrorodas

2019-04-16